O fato aconteceu em um quiosque a beira mar, o crime pode ter relação com uma briga que rolou no rock América Pie, em Itaoca há cerca de 20 dias.

O peixeiro José Renato Rodrigues, 26 anos, residente no Porto, em Piúma foi covardemente assassinado na madrugada deste domingo, 04, com oito tiros, em frente a um Quiosque, na orla da Praia, em Piúma.

Foto de Jose Renato voltando do Mercadinho para o quiosque

Uma testemunha que preferiu não se identificar disse que José Renato estava no Mercadinho, ao lado do Edifício Polonini 02, ele tinha acabado de comprar uma bebida e voltou para Quiosque, onde estava uma multidão, exatamente as 23h57. Às 0h02 o assassino o matou.

De acordo com a tia de José Renato, Ruana Ávila, a Ruainha, o sobrinho tinha acabado de chegar de Iconha ao local do crime com a namorada. Minutos antes, ela o abraçava quando saiu para ir ao bar em frente chamar a sua namorada e ouviu os tiros e viu a correria.

Ruaninha ao perceber que o matador havia descarregado a arma em cima do sobrinho saiu pela praia correndo atrás dele e depois pegou o veículo e tentou alcança-lo, mas o assassino entrou pela rua da Academia Assis Debiazi correndo a pé e desapareceu.

Ruaninha garantiu que o crime não tem relação com o tráfico de drogas, Zé Renato não devia nada ao assassino. Eles teriam brigado há uns 20 dias em Itaoca, no último American Pie, rock clandestino que estava rolando no balneário.

“Na Banha”

O suspeito de ter matado Zé Renato é Lucas, mais conhecido como “Na Banha”, segundo Ruaninha que apartou a confusão há cerca de 20 dias no tal rock América Pie. “Meu sobrinho foi para este evento, neste dia rolou uma confusão lá dentro, o Lucas passou a mão na irmã do meu sobrinho, e ele foi lá e perguntou o que estava acontecendo. Ele não gostou e a briga rolou. Depois disse o Lucas deu tiro pra cima e acabou a festa. E agora aconteceu isso tudo. Foi Lucas o “Tá na Banha”. Isso não tem nada a ver com divida de drogas. Meu sobrinho já mexeu com coisa errada, mas a briga dos dois foi isso. Nenhum tinha dívida nenhum com o outro, o que rolou foi esta confusão. O meu sobrinho bateu nele lá dentro no América Pie. Quando eu vi meu sobrinho no chão eu corri atrás dele. Eu só ouvi quando ele levou os tiros. Na hora que eu vi que ele tinha descarregado a arma eu corri atrás dele, mas não consegui alcançar”.

Ruazinha contou que o sobrinho não estava saindo muito de casa porque o pai está em sofrendo com uma depressão, e ele está ajudando a cuidar. Neste sábado José Renato chegou a convidar o pai para dar uma volta com ele, mas o pai não quis ir por não estar se sentindo bem. Há três dias, o pai de José Renato resolveu ir residir na casa da mãe para receber mais apoio emocional, a morte do filho será mais uma etapa difícil para o pai enfrentar.

Com os tiros houve muita correria e uma mulher que estava com os amigos de José Renato acabou quebrando um dedo do pé ao sair correndo.

Não foi no Bar da Taninha

A cerca de aproximadamente 300 metros do local do crime, o By Taninha Pub Music recém inaugurado estava lotado e muitas pessoas se desesperaram com o barulho dos tiros e deixaram o local correndo. Um empresário da cidade perdeu o celular na correria.

Informações no Bar dão conta que o crime ocorreu do outro lado da praia e não tem relação alguma com o estabelecimento que se tornou um point em Piúma em gastronomia.

Ruaninha depois de correr atrás do assassino e não alcançar voltou e levou ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, contudo ele já chegou sem vida.

A Polícia Militar – PM esteve no Hospital para colher informações e não quis falar com a reportagem. O assassino fugiu do local em uma motocicleta, e não foi localizado.

O velório está sendo marcado ainda e deverá ocorrer na Capelinha de São Pedro, no Porto, possivelmente para após as 15h00.

O corpo de Zezinho será encaminhado ao Departamento Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim, onde será necropsiado e liberado para sepultamento.

Fonte: Folha do ES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here