Um turista ficou com o carro atolado na areia da praia durante a tentativa de retirar o Jet Ski do mar

De novo. Um turista que visitava as praias de Guarapari ficou com o carro atolado na areia da praia durante a tentativa de retirar o Jet Ski do mar. Dessa vez, o caso aconteceu na praia de Peracanga, em Nova Guarapari.

Segundo os moradores, o motorista desceu com o veículo por volta de 18h de quinta-feira, e ao se aproximar demais da água, os pneus afundaram na areia molhada e o carro, um Land Range Rover Evoque, ficou atolado.

O motorista conseguiu retirar o veículo da areia da praia com a ajuda de um trator. O carro foi retirado horas depois do acidente.

O município informou que não foi acionado, e a Polícia Militar também não possui ocorrência registrada a cerca do veículo.

Na semana passada, um empresário mineiro perdeu a chave do carro após estaciona-lo na areia da praia da Bacutia. O veículo ficou estacionado na areia no mesmo lugar por mais de 24 horas.

O empresário de 37 anos da cidade de Leopoldina (MG), desceu na areia com o veículo para deixar o Jet Ski, mas não subiu com o carro de volta, e foi andar com os amigos na moto aquática.

Durante o passeio o Jet Ski virou em uma manobra, e o porta luvas se abriu. A chave do veículo, o celular que custa mais de R$ 10 mil reais e dinheiro que estava no porta luvas, acabou se perdendo no mar.

No momento da remoção do veículo na praia, as rodas acabaram afundando na areia, e foi preciso que uma segunda caminhonete descesse para ajudar. Após alguns minutos de tentativa, os dois veículos deixaram a praia.

Transitar ou estacionar com o carro na praia pode parecer um hábito para muitas pessoas, porém as regras de trânsito devem ser observadas antes de pensar em colocar o carro na faixa de areia. O Código Brasileiro de Trânsito informa que as praias são consideradas vias terrestres, mas mesmo assim, cada município tem o dever de legislar sobre o caso específico de suas praias.

Em Guarapari, a multa para quem circula ou estaciona veículos na areia da praia pode custar até R$8 mil, de acordo com o decreto municipal nº 243/1994.

Fonte: Tribuna online

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui