Organização teria roubado mais de 200 veículos no Estado

O líder de uma organização criminosa responsável por realizar furtos, revendas e desmanches de caminhões foi preso ontem, em Vitória. Valmir Cesar Vagner, 38 anos, conhecido como Pequeno, de acordo com a polícia, comandava o grupo com o pai e o primo, que já estão presos.

A estimativa dos policiais é que a organização, em suas várias frentes, já tenha roubado mais de 200 caminhões no Estado.

Os criminosos atuavam com três ou quatro pessoas de madrugada e procuravam caminhões estacionados às margens das rodovias, em postos de combustíveis e em propriedades rurais. Após encontrarem um caminhão, conseguiam abrir a porta e ligavam o automóvel rapidamente.

O líder de uma organização criminosa responsável por realizar furtos, revendas e desmanches de caminhões foi preso ontem, em Vitória. Valmir Cesar Vagner, 38 anos, conhecido como Pequeno, de acordo com a polícia, comandava o grupo com o pai e o primo, que já estão presos.

A estimativa dos policiais é que a organização, em suas várias frentes, já tenha roubado mais de 200 caminhões no Estado.

Os criminosos atuavam com três ou quatro pessoas de madrugada e procuravam caminhões estacionados às margens das rodovias, em postos de combustíveis e em propriedades rurais. Após encontrarem um caminhão, conseguiam abrir a porta e ligavam o automóvel rapidamente.

Valmir estaria morando em Praia Grande, Fundão, no início da investigação, mas há pouco tempo, se mudou para Jacaraípe, Serra.

A Guarda Municipal de Vitória, na tarde de ontem, foi informada sobre o veículo que ele estava usando e ao passar pela Rodovia Norte-Sul, em Vitória, o Cerco Eletrônico emitiu alerta e a perseguição foi feita até Jucutuquara. O carro, um Honda Civic, preto, estava com o chassi adulterado.

Outros dois homens, 44 e 31 anos, estavam no carro e foram presos. Ambos tinham passagem por tráfico, mas não há informações se tinham participação na quadrilha.

Já Valmir havia sido preso em 2009 por tráfico, além de possuir um mandado de prisão expedido pela comarca de João Neiva. Ele também era considerado, pela Polícia Civil, foragido da 2ª fase da Operação “Carga Pesada”, deflagrada em julho, pela Superintendência de Polícia Norte (SPRN).

Com os roubos dos veículos, a organização conseguiu faturar de R$ 30 a R$ 40 mil na revenda das peças de cada veículo.

A maior parte dos veículos era desmontada para a revenda das peças, mas em alguns casos, era cobrado um valor de resgate dos donos dos automóveis. Muitas vítimas chegaram a pagar.

Um dos desmanches comandado por Pequeno foi desarticulado na última “Operação Carga Pesado”, e encontrado dentro de uma aldeia indígena, em Aracruz.

Em entrevista, Valmir informou que trabalha como caldeireiro e negou ter praticado os crimes e também alegou não ter conhecimento do mandado de prisão.

Fonte: Tribuna online



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here