Casagrande também reforçou a medida já divulgada anteriormente, que liberou a retomada do ensino superior a partir do dia 14 de setembro

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, informou que o Estado tem interesse em retomar as atividades presenciais nas escolas a partir de outubro. Em pronunciamento no início da noite desta sexta-feira (04), o governador explicou que o primeiro grupo a retornar seria o Ensino Médio, seguindo todos os protocolos já divulgados em portaria conjunta da Secretaria de Educação e Saúde.

“Temos interesse em retomar com os outros níveis da educação básica a partir de outubro. O primeiro que vai retornar, certamente, será o Ensino Médio. Se a gente continuar avançando, a partir do início de outubro a gente pode retornar”, disse o governador.

O secretário de Educação, Vitor de Ângelo, também participou da transmissão e informou que o Estado coloca, em consulta pública, a partir de sábado (05), um plano de retomada das aulas presenciais da rede pública estadual de ensino. A consulta fica aberta até o dia 14 de setembro.

O secretário reforçou que a data para o retorno das aulas ainda não foi definida e o que Estado está realizando no momento, é divulgação do planejamento de como será a retomada. O plano conta com normas sanitárias e outras questões operacionais, como itens administrativos, acolhimento a professores, alunos e funcionários.

“O documento é bastante detalhado que tem também o objetivo de engajar as pessoas. Tornar o cidadão participante daquilo que está sendo planejado”, disse o secretário.

Vitor de Ângelo pontuou ainda que o documento que está em consulta pública lista os protocolos para a rede pública estadual e não contempla a rede privada de ensino do Estado nem as redes municipais.

Casagrande também reforçou a medida já divulgada anteriormente, que liberou a retomada do ensino superior a partir do dia 14 de setembro.

Rede privada

De acordo com o vice-presidente do Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Espírito Santo (Sinep-ES), Eduardo Monteiro, a rede privada, em sua grande maioria, já tem protocolos definidos para a retomada das atividades e, no momento, apenas aguarda a liberação para a volta segura.

“Nós estamos em conversa com o secretário e estamos aguardando a divulgação de três protocolos. Um seria específico sobre a Educação Infantil, outro sobre os critérios que vão determinar esse retorno, como ocupação de leitos e índices de contágio, por exemplo. E por último, a liberação dos atendimentos presenciais individuais, para atender aqueles alunos que estão mais vulneráveis e não estão conseguindo avançar com a educação a distância”, disse.

“Estamos pleiteando com o governo que a gente tenha uma antecipação, ao menos desse atendimento individual, e que seja antes de outubro. Além disso, pedimos que o retorno das atividades presenciais não seja fracionado por níveis da educação. Em nosso entendimento, o ideal seria a volta da Educação Infantil e do Fundamental 1 (1º ao 5º ano)”, completou.

Por fim, Monteiro reforça que o retorno não quer dizer a volta da normalidade, como era antes da pandemia, mas sim uma retomada seguindo regras e protocolos. “A gente quer o retorno gradual e com controle. Entendemos que o rigor da escola vai contribuir com a contenção da contaminação, vai contribuir para que os alunos tomem mais cuidado e se atenham a seguir as regras sanitárias”, completou Eduardo.

Fonte: R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui