Suspeito teria utilizado o dedo para acessar o celular da vítima e avisar que ela iria faltar ao trabalho

A modelo e bioquímica russa Ekaterina Antontseva, de 34 anos, foi encontrada morta no último fim de semana. O crime ocorreu no apartamento em que ela vivia, em São Petersburgo (Rússia). De acordo com a polícia local, a mulher foi estrangulada ou sufocada na quinta-feira (22). O namorado de Ekaterina, um empresário da construção civil, foi quem encontrou o corpo.

Após assassinar a mulher, o suspeito teria arrancado um dos polegares dela. Em seguida, ele utilizou o membro para acessar o celular da vítima e enviar  uma mensagem ao chefe dela, avisando que a Ekaterina iria faltar ao trabalho

PUBLICIDADE

A modelo e bioquímica russa Ekaterina Antontseva, de 34 anos, foi encontrada morta no último fim de semana. O crime ocorreu no apartamento em que ela vivia, em São Petersburgo (Rússia). De acordo com a polícia local, a mulher foi estrangulada ou sufocada na quinta-feira (22). O namorado de Ekaterina, um empresário da construção civil, foi quem encontrou o corpo.

Após assassinar a mulher, o suspeito teria arrancado um dos polegares dela. Em seguida, ele utilizou o membro para acessar o celular da vítima e enviar  uma mensagem ao chefe dela, avisando que a Ekaterina iria faltar ao trabalho.PUBLICIDADE

A vítima trabalhava como bioquímica no Instituto Tecnológico de São Petersburgo e também fazia ensaios e campanhas como modelo.

Segundo o “Daily Mirror”, um homem, identificado apenas como Artyom, de 36 anos, foi detido sob suspeita de ser o autor do crime. Antes de deixar o apartamento, o assassino selou com fita adesiva a porta e as janelas, para não deixar o cheiro do corpo em decomposição vazar.

De acordo com a polícia, o crime teria sido motivado por uma dívida. Artyom devia dinheiro a Ekaterina e ambos iniciaram uma discussão que acarretou no assassinato.

Fonte: Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui