Mesmo com apenas uma dose do imunizante, os números já de óbitos por covid de pessoas com comorbidades já apresentou uma redução

De acordo com dados do Painel Covid, dos 11.828 óbitos por covid-19 confirmados no Espírito Santo, mais de 87% são de pessoas com cardiopatias (6.210), diabetes (3.322) e doenças pulmonares (848). Apesar de expressivo, o número vem apresentando uma redução desde o início da campanha de imunização. 

Se compararmos os números de mortes registrados no início da pandemia, é possível perceber que mais da metade dos capixabas que foram a óbito pela doença sofriam de cardiopatias. 

De acordo com a médica infectologista Ana Carolina D’Ettorres, no caso das pessoas com comorbidades a vacinação é indispensável. “Pessoas com comorbidades, de maneira geral, podem apresentar condição que chamamos de imunossupressão, que é um sistema imunológico mais fraco que o de pessoas que não têm. Então para esse grupo, principalmente, é importante ter as duas doses de vacina”, explicou

Leia também: Espírito Santo registra menor número de casos de covid desde maio de 2020

Veja abaixo os dados de abril (quando os dados começaram a ser cadastrados no Painel Covid) a julho de 2020: 

Número de mortes por covid-19 registrados no ES em 2020:

Abril – 116

Maio – 586

Junho – 1049

Julho – 880

Número de mortes por covid-19  de pessoas com cardiopatias registrados no ES em 2020

Abril – 76 (65,5%)

Maio – 347 (59%)

Junho – 603 (57%)

Julho – 512 (58%)

Mesmo com uma dose, vacinação de público com comorbidade já apresenta bons resultados 

A vacinação específica para o público com comorbidades começou no início do mês de maio com o público de 50 a 59 anos. Além disso, boa parte dos capixabas que fazem parte do grupo já havia sido contemplado pelo recorte de idades. 

Mesmo com apenas uma dose do imunizante, os números já de óbitos por covid de pessoas com comorbidades já apresentou uma redução. 

Entre abril e julho de 2020, por exemplo, a média de mortes de pessoas com cardiopatias era de aproximadamente 60%. Um ano depois, e com a primeira dose da vacina, entre os meses de abril e julho os percentuais ficaram próximos aos 45%. 

A médica infectologista Ana Carolina D’Ettorres, explicou que mesmo com apenas uma dose, as vacinas apresentam eficácia contra a doença. 

“As vacinas da covid, mesmo com uma dose, promovem uma imunização parcial. A vacina da Astrazenca, por exemplo, ela atinge uma prevenção de 70% de formas graves e óbitos”, explicou. Mesmo sendo eficaz, a especialista reforçou que as duas doses são fundamentais. “Nós só consideramos o esquema vacinal completo, e temos os benefícios esperados, quando o esquema é completo, com duas doses. Se você toma uma dose, você vai ter essa proteção parcial, mas não sabemos por quanto tempo isso se sustenta para a população geral”, disse. 

Veja mais: Média de idade de morte por covid-19 no ES é de 58 anos, menor que a média nacional

Veja abaixo o impacto, em números, da vacinação no grupo de pessoas com comorbidades:

Cardiopatias

2020

Abril – 76 (65,5%)

Maio – 347 (59%)

Junho – 603 (57%)

Julho – 512 (58%)

2021

Abril – 946 (46,5%)

Maio – 567 (46,8%)

Junho – 269 (45,6%)

Julho – 127 (45%)

Diabetes

2020

Abril – 36 (31%)

Maio – 210 (35,8%)

Junho – 358 (34%)

Julho – 275 (31%)

2021

Abril – 501 (24,6%)

Maio – 281 (23%)

Junho – 138 (23%)

Julho – 73 (25%)

Problemas pulmonares

2020

Abril – 17 (14,6%)

Maio – 69 (11,7%)

Junho – 88 (8%)

Julho – 81 (9%)

2021

Abril – 88 (4%)

Maio – 62 (5%)

Junho – 33 (5,6%)

Julho – 17 (6%)

Fonte: Folha Vitória

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here