Realização do chamado teste de antígeno durante a consulta em prontos atendimentos e unidade de saúde faz parte da nova estratégia da Secretaria de Estado da Saúde para ampliar a testagem na população capixaba

Para identificar o quanto antes a presença do novo coronavírus e promover o isolamento de pessoas com suspeita de estarem infectadas com a covid-19 o mais rápido possível, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) mudou os protocolos de atendimento na rede pública. A partir de agora, qualquer pessoa com suspeita da doença deverá fazer o chamado teste de antígeno no momento da consulta nos prontos atendimentos e unidades de saúde.

Assim como o RT-PCR, o teste de antígeno consiste em coletar material dentro do nariz, por meio de uma haste. A diferença está no processamento dele e no tempo que leva para ficar pronto.

“O teste é feito na própria unidade, na presença da pessoa, e o resultado sai em uma média de 15 minutos. Então se o resultado der positivo, a pessoa de fato tem a doença. Se o resultado for negativo e a pessoa tem os sintomas da covid, ela vai ser encaminhada, então, para a realização do chamado PCR”, explicou o  subsecretário estadual de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin.

Ao todo, mais de 120 mil testes de antígenos já foram distribuídos pela Sesa. Na última semana, 40 mil foram registrados. Nesta semana, outros 190 mil testes serão entregues para os municípios.

“Nós queremos que o mês de abril, de fato, seja o mês que, até o presente momento, de todo o início da pandemia, seja aquele mês em que o Espírito Santo mais testes possa realizar, para isolar as pessoas e diminuir a transmissão da doença”, destacou Reblin.

A expectativa é que, diante da ampliação de testes, aumente também o número de casos confirmados da covid-19 no Espírito Santo. No entanto, segundo o subsecretário, isso não deve ser motivo para a população ficar assustada.

“Nós não devemos nos assustar. Nós devemos nos tranquilizar quando tem uma capacidade de realizar exames. E isso vai aproximar muito mais da realidade, da informação correta. Nós sabemos que a nossa taxa de transmissão está alta neste momento e a realização da testagem em massa no mês de abril, com uma capacidade alta de teste que nós temos, vai nos ajudar a diminuir a transmissão daqui em diante, depois da realização desses testes”, afirmou.

Fonte: Folha Vitória

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui