O tratamento estimula o crescimento de novos vasos sanguíneos na região, o que acelera a restauração tecidual e a cicatrização das feridas

O ozônio é um antibiótico natural, de alto poder bactericida. A partir da ozonioterapia ele atua no combate à microorganismos com ação de oxidação do material biológico.

Estudos revelam que em casos indicados para amputação, o ozônio tem se mostrado uma terapia eficiente e segura, proporcionando ao paciente melhora do quadro clínico e da qualidade de vida.

O tratamento estimula o crescimento de novos vasos sanguíneos na região, o que acelera a restauração tecidual e a cicatrização das feridas. “A oferta de nutrientes para o tecido gerada pelo ozônio potencializa o sistema imunológico, o que contribui para a multiplicação celular e o controle da carga microbiana controlada, fazendo com que a cicatrização ocorra de forma mais rápida”, pondera a biomédica do espaço PB Saúde Integrada Juliana Pedrosa Sarmento.

O resultado da cicatrização pode ser visto em pouco tempo. “Em cerca de três meses, é possível ter uma recuperação total, enquanto com tratamentos convencionais levam de oito meses a dois anos”, diz a biomédica.

O método é contra indicado em casos de gravidez e pacientes com infarto agudo do miocárdio, hipertireoidismo não controlado, intoxicação alcoólica ou problemas de coagulação.

Fonte: Folha Vitória

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui